quinta-feira, 22 de março de 2012

- Massagem Reflexológica Podal!

Olá Galera! Na post de hoje vou falar um pouco sobre uma técnica que quem recebe fica relaxado, tranquilo e reequilibrado energeticamente, a "Massagem Reflexológica Podal". Somente pessoas com grande sensibilidade na planta do pé não gostam, pois não ficam a vontade, no mais é muito interessante o resultado de relaxamento alcançado com a técnica. Bom, chega de bla, bla, blá e vamos ao assunto.

Massagem Reflexológica Podal


Os cuidados com os pés e mãos não visam somente questão estética. Visam principalmente o equilíbrio orgânico e mental (psique) de uma forma geral, uma vez que refletem todo o nosso corpo.
É importante que os nossos pés estejam sempre em boas condições, livres de tensões e dores compressivas.
As unhas devem ser conservadas curtas e a pele áspera deve ser removida sempre que possível, evitando encravamentos e facilitando a renovação celular.
Foi demonstrado que se a unha do hálux estiver muito comprida e pressionar o lado do pé (reflexo da cabeça), pode ocorrer dores de cabeça.
Os pés de muitas pessoas são deformados pelo uso de sapatos inadequados. Sapato fechado, fechado, com salto alto geralmente comprime o antepé, faciltando o aparecimento desde joanetes até o dolorido Neuroma de Morton. Isso prejudica a saúde porque os reflexos que ocorrem no local da deformidade são afetados.
Em termos ideais, deveríamos caminhar descalços sempre que possível, permitem que os pés se movam livremente e a pele respire.
A massagem nas áreas reflexas dos pés estimula o sistema imunológico e outros mecanismos de auto-equilíbrio orgânico, auxiliando preventivamente nas ocorrências de distúrbios potenciais.
A Reflexologia é uma técnica específica de massagem aplicada em determinadas áreas dos pés que permite a recuperação gradativa do bem- estar. Com este método pode-se aliviar os mais variados sintomas, desde aqueles como dores musculares, enxaquecas, problemas digestivos, alérgicos, sexuais, relativos à menopausa, até aqueles de ordem emocional, como as depressões, ansiedades, etc.

Benefícios da Reflexologia:  
1. Reduz os efeitos do stress e induz um estado de relaxamento profundo;
2. Melhora a circulação sangüínea;
3. Limpa o nosso corpo;
4. Ajuda a equilibrar todo o sistema humano;
5. Revitaliza a energia.

Dentro da reflexologia há a massagem reflexológica visando o equilíbrio geral do cliente após uma sessão de reflexologia, que pode chegar a 1 hora.
A massagem reflexológica ativa o mecanismo de cura que existe no interior de cada um de nós. O seu efeito é cumulativo, ou seja, a cada nova sessão reforça-se a sensação de bem-estar físico e de paz interior, comprovando, assim, a sua eficácia.
Hoje a estética mostra-se mais eficiente e com resultados de qualidade quando aliada a Terapias Complementares.
A visão do ser Humano como um todo torna os atendimentos mais personalizados e direcionados às expectativas de cada pessoa.
O que é melhor, essa massagem pode ser utilizada como complemento nas massagens relaxante, drenagem linfática e limpeza de pele.
Profissionais como manicures e pedicures podem utilizar-se dessa massagem como um diferencial a mais de seu trabalho.

Os problemas comuns do pé são:
Vesículas (bolhas), calosidades e calos causados por sapatos.
Verrugas plantares.
Rachaduras (fissuras)
Infeção fúngica interdigital.
Unhas encravadas.
Acidentes associados ao corte das unhas.



Os pés são o apoio do corpo, eles sustentam o nosso peso, nos levam para onde queremos (ou para onde o cérebro comanda) e cabe a cada um de nós cuidar bem dos nossos pés quanto à sua higiene e beleza e quanto ao seu conforto.

O pé como todo o nosso corpo é revestido por pele. A pele é um órgão que determina o limite com o meio externo e exerce diversas funções sensoriais (calor, frio, pressão, dor e tato).

A pele é formada por três camadas, das quais a epiderme é a ultima camada e está diretamente ligada ao meio externo do nosso corpo - esta camada de pele tem suas células renovadas a cada 28 dias.

Quando usamos sapatos apertados e que formam bolhas pelo atrito, a pele se defende da seguinte maneira: ao se sentir agredida ocorre um mecanismo de defesa, acelerando a renovação das células vivas, para que estas subam até a superfície da pele, e já na condição de células mortas vão se sobrepondo formando um espessamento endurecido que chamamos de calosidade.

É fácil imaginar o que aconteceria com as camadas mais profundas da pele se ela não fosse capaz de se defender. Por exemplo, se o sapato aperta e faz bolha, esta bolha se rompe e fica um ferimento; se a pele não entrar em ação formando a camada endurecida de proteção (o calo), este ferimento ficaria profundo e levaria muito tempo para cicatrizar impossibilitando o uso de sapatos, por muito tempo.

Motivo da Dor:
A dor é desencadeada devido à pressão ou atrito que ocorre nos calos. Ao pressionar os calos, as camadas da pele mais profundas sentem a pressão e por possuírem terminações nervosas a ação reflexa é a dor (e como dói).


Tipos de calo:
Há vários tipos de calos: duro, entre os dedos, ao redor das unhas e embaixo das unhas.


Como tratar:
A calosidade pode atingir dimensões mais profundas a ponto de estar enraizada.


O profissional preparado para retirar esta calosidade é o podólogo. Eu não aconselharia aplicar ácidos como estamos acostumados a ouvir falar, pois o ácido poderá tocar a pele ao redor do calo e provocar queimadura profunda e assim podemos ter dois problemas: o calo e o ferimento.

Como sempre é melhor prevenir, o ideal é usar o calçado que se adapte aos pés, e não fazer os pés se adaptarem aos calçados.

Muitas pessoas me perguntam a respeito de calçados e percebo que a dúvida é da maioria.

Por isso resolvi anotar as principais queixas e responder algumas dúvidas.



A má escolha dos sapatos pode causar lesões, portanto não é o sapato que provoca lesão por si só e sim a má escolha.

Qual marca?
Deve-se levar em consideração que o que é bom para uma pessoa pode não ser bom para outra.


Qual tipo de solado?
Cada esporte depende e exige de um tipo de solado;
• Corrida: precisa de impulso e amortecimento;
• Caminhada: precisa de amortecimento;
Ou seja, para cada esporte tenha no mínimo dois pares de calçados, para haver revezamento dos mesmos.


Quanto ao número?
Atente-se que temos um pé pouco maior que o outro, compre o calçado que seja mais confortável. Não compre pensando no número do calçado, pois existem diferenças entre marcas e modelos.

Seu pé deve movimentar-se dentro do calçado, ou seja, os dedos não podem ficar espremidos, principalmente o dedo maior e o dedo menor. Isso pode ocasionar o surgimento de calos, calosidades, unhas encravadas, descolamento de unhas, joanetes...
O ideal é comprar o calçado depois de uma caminhada ou no período da tarde para a noite, onde os pés encontram-se um pouco mais inchados. Experimente o calçado que irá comprar com a meia que você irá usá-lo.
Respeite os modelos masculinos e femininos, pois existe um critério na confecção dos calçados conforme as diferenças dos pés dos homens e das mulheres. Não faça a estréia do calçado no dia de uma festa, reunião, evento ou competição, primeiro se adapte ao calçado.
No caso de esportes, para evitar lesões, cumpra à risca as exigências de quilometragem e horas de treinamento de cada marca/modelo, caso contrário o sistema de amortecedores ficará comprometido.
A amarração de cadarços deve seguir o critério tradicional, pois lhe permite maior segurança nas atividades físicas e competições. A moda de não amarrar não é conveniente ao esporte.

Deve-se lembrar também que não pode amarrar muito apertado, pois acabará comprometendo a circulação. Se houver aparecimento de desconforto nos pés procure um profissional da área:
• Ortopedista, fisioterapeuta, Podólogo ou Quiropraxista


Curiosidades:

• Cada 1000 metros corridos, os pés impactam contra o piso de 500 a 1250 vezes.
• Cada pé toca o solo de 50 a 70 vezes por minuto.
• O impacto da força é de 2 a 4 vezes o seu peso corpóreo e num salto os pés suportam até 6 vezes seu peso corpóreo.
Portanto fatores estruturais e a má escolha do calçado poderão ocasionar lesões. Por exemplo:
• Bolhas,
• Calos,
• Calosidades,
• Joanetes,
• Unhas encravadas,
• Sobrecarga muscular,
• Desvio de articulações,
• Tendinite,
• Entorses,
• Luxações ou até fraturas.

• Portadores de diabete devem redobrar sua atenção a respeito de tudo o que falamos e lembrar o mercado já atende uma linha calçados para diabéticos que devem ser especiais, sem nenhuma costura ou rebarbas, macios, confortáveis e seguros.



Reflexologia:

É uma técnica específica de pressão que atua em pontos reflexos precisos dos pés de forma sistemática, onde atinge-se todo o corpo, orgânico, físico e mental. Esses pontos reflexos estão dentro do nosso sistema, na sola do pé, na palma da mão, na cavidade anterior da orelha, no pescoço e na íris.

Normalmente nos pés é onde se encontra a região mais acessível ao toque e o acúmulo energético é maior neste local. Tocando nesses pontos acontece uma reação em cadeia em todo corpo, porque os pontos estão se libertando das toxinas, gerando um processo de limpeza e com isso reativa a sensação de bem estar em todo corpo logo a sessão terminada.
Descobriu também que podia aliviar a dor em determinada parte do corpo do paciente, aplicando pressão em outra parte.

Técnica
Antes da massagem reflexológica é necessário uma inspeção visual nos pés, então fazemos uma varredura na região podal, observando:

  1. Calosidades: que indiquem o tipo de calçado usado por seu cliente, nos dedos podem indicar dores reflexas na área de cabeça e pescoço;
  2. Hidratação: Áreas de ressecamento, descamação (falta ou interrupção do fluxo de energia) ou rachaduras;
  3. Coloração: áreas escuras indicam compressões e diminuição do fluxo sanguíneo e deficiência nutricional, podendo estar associada a dolorimento, e áreas vermelhas indicam muito sangue passando pela área;
  4. Deformidades: Problemas estruturais como o joanete que podem indicar o uso de orteses de silicone (dedeira) ou correções ortopédicas;
  5. Humidade: Pés frios e úmidos podem representar uma pessoa com medo  ou tensa. Pés quentes podem representar desde um quadro febril, inflamatório até uma pessoa muito agitada e inquieta. 
  6. Cheiro: Cheiro de queijo – grande quantidade de matéria residual; cheiro de acetona o sistema urinário pode estar envolvido;
  7. Unhas: Micoses, encravamentos, unhas quebradiças podem estar associadas a outros problemas orgânicos, e na área relacionada pode afetar a área reflexa do corpo.

- Anti – assepsia: Com luvas de procedimento e uma gaze realizar a anti - assepsia com álcool a 70% com movimentos suaves e contínuos para fora do pé, não esquecendo as áreas entre os dedos;

- Esfoliação dos pés :
             Após a limpeza realizamos a esfoliação que tem como função limpeza e renovação celular, permitindo uma melhor penetração do hidratante que será usado depois. Com o creme “lixando” as superfícies anterior, lateral e medial e face plantar. Retira-se o esfoliante com uma toalha ou lenço umedecido, ou água filtrada em uma gaze com uma loção anti-séptica, para então iniciar a massagem propriamente dita.


- Massagem:
           
            Primeiro vamos dividir as áreas da sola dos pés para facilitar:
  1. T1- Área entre as falanges proximais e os ossos do metatarso (Ante pé). Dentro desta área temos os reflexos da cabeça e pescoço;
  2. T2- Área entre os ossos metatarsos cuneiformes e cubóides (médio pé). Entre T1 e T2 temos os reflexos do tórax e abdomen superior, entre T2 e T3 os reflexos do abdômen inferior e pélvis (órgãos internos como o intestino);
  3. T3- Linha entre o meio caminho do calcâneo e o astrágalo. Esta linha representa o Nervo ciático.
  4. A área medial do pé representa toda área de coluna e a lateral os ombros, cintura escapular e pélvica, quadril,...
  5. A linha abaixo dos maléolos representa os linfonodos inguinais. Entre os dedos linfonodos da cabeça e pescoço e na região dorsal do pé, a frente do 5º dedo os linfonodos axilares.
Clique para ampliar

Clique para ampliar.


 - Passo a passo:

- Passar o creme que já usa normalmente para massagem nas mãos (um hidratante com arnica com 5 gotas de óleo essencial de lavanda que alivia dores tensionais), aquecê-las, e em seguida passar no pé no sentido da circulação linfática e circulação de retorno (uns 2 minutos aproximadamente);

- Faça os estímulos com movimentos de vai e vem ou zig zag que são harmonizantes sempre por 3 minutos em cada área;

- Estimule primeiro as áreas linfáticas (entre os dedos, axilar e inguinal);

- Na sequência estimule a área T1 começando pelos dedos (área de cabeça) e descendo para área de tórax e abdômen superior. Sempre usando o polegar  para os movimentos de vai e vem;

- Siga nas áreas abaixo até a região ciática;

- Seguindo vá para a área de coluna vertebral e depois para a lateral do pé. Use agora a região palmar ou o antebraço para a área interna do pé.

- Depois trabalhe a área dorsal, maleolar medial e lateral;

- Mobilize e alongue e faça um leve amassamento;

- Pequenas torções e movimentos circulares ajudam a relaxar a região ligamentar dos pés;

  • Tendo feito esta sequência nos dois pés você pode trabalhar uma área escolhida previamente com os estímulos bilaterais;
  • Somente os órgão bilaterais ou centrais são encontrados nos dois pés (pulmão, rim, intestino, membros,...).
- Abaixo vídeo extraído do Youtube a respeito da técnica. Reflexologísta Nando.




Boa sorte e bom trabalho!
Até a próxima post e Up the Fisios!



Um comentário:

  1. Olá Alexandre, parabéns pelo blog! Gostaria de saber se você pode indicar algum lugar bom que faça reflexologia aqui no RJ. Grata, Nathalia (nathalia_ribeiro@hotmail.com).

    ResponderExcluir